quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Não mereço alguém que finja importar-se comigo aos sábados e que desapareça aos domingos

Todos temos alguém na nossa vida que, mesmo não estando connosco, faz o nosso coração acelerar e com que sintamos o nosso interior revirar. Para mim, essa pessoa é tão usual no meu dia-a-dia como o sol durante a noite, como um coelho no mar ou um tubarão a voar. Talvez sem exageros seja o melhor, não é assim tão invulgar. Mas a falta que me faz, de falar com ele, é tão grande que me causa uma enorme solidão que me faz enlouquecer, ele permanece demasiado tempo na minha cabeça para quem me dirige tão poucas palavras. Demasiado poucas, devo dizer.

E é por isso que sinto tanta a falta dele, tenho saudades. Tenho saudades daquela noite, da forma como ele me abraçou debaixo do luar e de todos aqueles milhares de olhares. Tenho saudades da maneira como ele se preocupou comigo e gentilmente me puxou para ele para me acalmar e levar consigo o meu sofrimento e a minha dor. Tenho saudades de como me protegeu e como os seus braços rodearam o meu corpo que tanto tremia, depois de me ver num dos meus piores momentos e enquanto chorava.

 

Ele faz-me falta, tem feito durante os últimos poucos ou mais anos e sei que fará para a eternidade, porque é isso que ele é para mim, o meu infinito. E o pior de toda a nossa história nem é o facto de eu o amar com tanta intensidade que não percebo, mas o facto de que ele nem sequer sonha com isso. Sei que não me devo preocupar mais, que devo esquecer e seguir em frente sem um pedaço dele, mas não consigo. É demasiado importante para mim.

Só que tenho de o afastar, tenho que o fazer porque eu não mereço isto. Não mereço alguém que finja importar-se comigo aos sábados e que desapareça aos domingos, eu mereço alguém que realmente me queira, alguém que repare no brilho dos meus olhos e que esteja atento aos detalhes do meu rosto, alguém que, apesar de me conhecer como ninguém mais, não se importe com os meus maiores defeitos. Mereço alguém que goste de mim por mim, alguém que me possa amar. Alguém que não parta só por partir, alguém que não fique só por ficar.


Sei que ainda tenho um grande caminho pela frente, onde vou aprender a esquecer e recomeçar de novo. Terei que percorrer uma longa estrada que mais vai parecer uma montanha russa de sentimentos, mas acredito que só depois de me aperceber o quão inocente pareço nesta realidade é que vou conseguir enfrentar aquilo que não me quer enfrentar a mim; e aí sim, só depois disso tudo vou conseguir ser feliz.

2 comentários:

  1. Quando menos esperares, vai aparecer alguém que se preocupe muito contigo todos os dias e que te faça muito feliz, como mereces.
    Beijinhos e tudo de bom :)
    http://universodamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, beijinhos e tudo de bom para ti também :)

      Eliminar

Deixa aqui o teu comentário com a tua opinião sobre o post, de modo a que eu possa melhorar o Primavera Estacional.

Deixa também o link do teu blog para eu passar por lá!