Dizer Sim ou Não às Praxes?


Setembro é sinónimo de início de aulas e este ano não é exceção. Com o novo ano escolar muitos jovens iniciam uma nova fase da sua vida, entrando para a Universidade e ingressando num dos cursos a que concorreram. É sempre uma altura stressante para alguns estudantes, mas entusiasmante para todos. Um dos assuntos que mais afeta os jovens, neste início de ano lectivo, é o debatido tópico das Praxes, e é disso mesmo que vos vou falar hoje!

A Praxe é uma tradição universitária seguida pela maioria dos estudantes, e que engloba uma série de formalidades que iniciam a vida académica dos jovens, envolvendo-os nos eventos organizados pelas Universidade e pela Associação Académica da mesma. Praxe é, se bem feita, sinónimo de integração e união, pois serve para que os novos alunos conheçam novas pessoas e criem novas amizades mais facilmente, e é sempre realizada num ambiente amigável onde o respeito mútuo é das coisas mais apreciadas. No entanto, por efeito de pessoas cujo interesse nas praxes é comandar e humilhar, estas são, muitas vezes, vistas como algo grosseiro e recebem um imenso criticismo por parte de outros, que vêm esta tradição académica com maus olhos.

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, a Praxe não é obrigatória e o aluno, na altura designado como bicho, pode sempre negar-se a fazer qualquer que seja a ação que o mandaram fazer, dando as suas devidas explicações, sejam elas relativamente a questões pessoais, físicas ou mentais. Caso a sua negação não seja aceite pelo aluno que está a praxar, o jovem pode fazer queixa ao Conselho das Praxes, devendo sempre fazê-lo quando achar que sofreu algum tipo de humilhação e violência.

Como dito anteriormente, a praxe não é nem deve ser vista como uma humilhação, nem é realizada para tratar mal os novos alunos, mas sim para os integrar. Eu encontro-me agora no segundo ano na Universidade de Évora, onde as Praxes têm uma duração de mês e meio (até ao dia 1 de Novembro), e falo por experiência própria quando digo tudo a que me referi nos parágrafos anteriores. Praxe não é humilhação nem violência, é sim uma forma tradicional de aproximar pessoas. Eu sempre tive bastante dificuldade em conhecer pessoas, até porque sempre fui muito tímida, mas a Praxe deu-me a oportunidade de falar com gente nova e de fazer amigos para a vida, e eu estou grata por isso, pois fui praxada pelas pessoas certas e da maneira certa. Não nego que soube de casos de outros cursos, aqui mesmo na cidade, onde houve desrespeito por parte dos alunos do terceiro ano para com os jovens estudantes, mas são esses casos que devem ser realmente avaliados e julgados.

Eu fui bem praxada e isso dá-me a obrigação de fazer o mesmo quando for a minha vez de praxar, daqui a um ano, com respeito; pois o respeito é uma das poucas coisas gratuitas das quais ainda podemos usufruir. Praxar desrespeituosamente é apenas malformação que deve ser punida por justa causa.

Eu digo sim às praxes, e tu?

You Might Also Like

10 comentários

  1. Eu vou agora para o segundo ano e digo um grande sim à praxe!!

    Beijinhos
    That Girl | FACEBOOK PAGE | INSTAGRAM | TWITTER

    ResponderEliminar
  2. Eu disse sim às praxes e depois vi que era apenas uma forma de os "doutores" libertarem a raiva e as frustrações do dia-a-dia a gritar connosco e a mandarem-nos encher e não sei quantos pulos de galo + uns 50 ri-me f*di-me... e fiquei me a questionar... E realmente não tenho paciência xD

    Beijinhos,
    Mii
    Comic Life Blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pessoalmente penso que também depende muito de quem praxa e como o fazem. Lameto que não tenhas tido uma boa experiência, pois quando a praxe é feita trás realmente benefícios!

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Pessoalmente nunca fui praxado até porque nem andei em cursos superiores mas pode-se dizer que sou contra a prática da praxe. Em Évora pode ter mês e meio mas em Coimbra e Leiria é o ano todo e perde-se o sentido primordial do que se pensa da coisa. Eu acho que a praxe é uma prática medieval de entrar numa ordem secreta cheia de rituais e subjugações que os caloiros têm que passar. Mas isso é a minha opinião.
    Beijinhos
    Miguel
    https://escritalhadaa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É realmente um tema que divide muitas opiniões, especialmente devido aos acidentes que já houveram.

      Beijinhos!

      Eliminar
  4. Eu também digo sim à praxe! :D

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trazem realmente muita alegria (a alguns!)!

      Beijinhos

      Eliminar
  5. Eu digo sim à praxe! Fiz em duas universidades diferentes, uma no Porto que durou o ano todo mas era 1x por semana e existia o espirito de união e servia para aproximar os alunos mas existiam muitos doutores que abusavam do poder. Contudo eram chamados atenção por isso. Na outra universidade, em Tomar foi também 2 meses e era mesmo para aproximar as pessoas! Acho que todos deviam experimentar :)

    Volta & Meia
    Facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo! Há sempre aquelas pessoas que querem abusar do poder, mas devem ser castigados. Acho que é mesmo uma experiência que todos os estudantes devem ter, e se não gostarem podem sempre desistir!

      Beijinhos

      Eliminar

Deixa aqui o teu comentário com a tua opinião sobre o post, de modo a que eu possa melhorar o Primavera Estacional.

Deixa também o link do teu blog para eu passar por lá!